Pedro Spínola que retificar derrota da fase regular

PUB

O FC Porto Vitalis regressa este sábado à luta pelo “penta”, após uma pausa para trabalhos da selecção nacional. A quarta jornada da fase final opõe o FC Porto Vitalis ao Benfica (sábado, 18h).

Pedro Spínola foi o porta-voz da equipa e admitiu que a Luz é um pavilhão complicado, que foi cenário da única derrota dos Dragões na fase regular. Esta será uma oportunidade para “corrigir” esse resultado.

“Vamos fazer o nosso jogo. Independentemente do adversário, jogamos sempre da mesma forma. Apenas estamos focados em nós e não é por estar o Benfica do outro lado que vamos mudar a nossa maneira de jogar. Foi assim que colhemos os frutos durante toda a época e agora só temos de continuar da mesma forma. Estamos seguros na nossa maneira de jogar, na nossa defesa e no ataque. Cada equipa tem o seu estilo e ritmo de jogo, sendo que o nosso é mais elevado. Acredito que vamos ter de o colocar em campo para podermos ganhar”, afirmou o lateral-direito.

Antevendo a partida, em superflash, Pedro Spínola não a considerou decisiva.

“Ainda é cedo para ser o jogo do tudo ou nada. Ainda iremos receber o Benfica e, mesmo perdendo, não se trataria de um adeus ao título, nem nada que se pareça. Ainda há muito campeonato pela frente e o Benfica pode perder em qualquer terreno. Durante a fase regular só tivemos uma derrota e queremos corrigir o resultado. Tivemos um pouco de azar, poderíamos ter empatado no fim, num livre de sete metros, e nestes jogos estas oportunidades não se podem falhar. A margem de erro é muito mais curta”, declarou.

Quanto ao facto da partida ser na Luz, em terreno hostil, Pedro Spínola argumentou que “não há qualquer tipo de efeito psicológico especial”. “É apenas mais um pavilhão. O ano passado conseguimos lá ganhar e vamos tentar repetir a vitória”, garantiu o atirador. Recorde-se que as duas formações estão empatadas no topo da classificação, com 41 pontos.

O lateral-direito destacou ainda o facto de ambas as equipas terem bons guarda-redes, sendo que Hugo Laurentino e Alfredo Quintana merecem a “total confiança” dos colegas. Quanto à paragem para os trabalhos da selecção, Spínola julga que “nem ajudou nem prejudicou”: “Já estava prevista. Preparamos a época para estes embates”. A lesão de Ricardo Moreira, ao serviço de Portugal, não se poderia prever e, para além disso, há “outros jogadores” que podem “equilibrar a equipa”.

FONTE:: www.fcporto.pt

Patrocinadores