Equipa sensação, quarto lugar no Campeonato da Europa e a Melhor Lateral Esquerda da Europa

PUB

A selecção nacional de Juniores B femininos esteve na Polónia a disputar a fase final do Campeonato da Europa de Sub17, que decorreu de 15 a 25 de Agosto.

Terminado o Europeu, a comitiva nacional regressa a casa com inúmeros motivos de orgulho – o 4º lugar do Campeonato da Europa, naquela que é a melhor classificação de sempre no escalão; a nível individual, no Sete Ideal da prova, faz parte Sandra Santiago, escolhida como Melhor Lateral Esquerda.

Ainda, o reconhecimento, por parte da EHF, de Portugal enquanto equipa surpresa na competição – ler aqui .

E a treinadora à frente da selecção nacional de sub17, Sandra Fernandes, foi uma das quatro treinadoras homenageadas publicamente, no âmbito do projecto de apoio à participação das mulheres no Andebol, a EHF, representada pelo Vice-Presidente Arne Elovsson, reconheceu oficialmente o trabalho, empenho e contribuição das treinadoras das selecções nacionais que estiveram no Campeonato da Europa Feminino de Sub17, numa cerimónia que decorreu durante o intervalo da final entre a Suécia e a Rússia.

REACÇÕES À CHEGADA A PORTUGAL

Bárbara Rodrigues, capitã: “No início, íamos receosas porque Portugal nunca chegou muito longe. Mas no início de cada jogo, havia confiança em nós e confiança umas nas outras. Faço um balanço muito positivo e estamos muito realizadas, ainda mais com o prémio da Sandra Santiago. É um orgulho, estamos muito satisfeitas e apesar de não termos trazido a medalha, fizémos história e marcámos o andebol português. É importante dizer que que a nossa treinadora Sandra Fernandes fez um trabalho excelente, é muito exigente e muito muito boa pessoa e, sem ela, nada disto seria possível”.

Sandra Santiago – Melhor Lateral Esquerda: “É muito bom poder fazer história e é muito bom sermos reconhecidas como equipa. Em relação ao prémio individual, foi emocionante, não estava nada à espera e é um reconhecimento do meu trabalho. Espero que continuemos a mostrar o que valemos e a ser um motivo de orgulho para Portugal.”

Jessica Ferreira: “Foi uma experiência única, nem toda a gente tem a sorte de passar por isto, só aqueles que os treinadores consideram capazes de atingir este patamar. Não se trata de sorte, mas sim do talento que uma pessoa tem e com esse talento conseguimos chegar ao 4º lugar, o que é magnífico para o nosso país e para a modalidade, que no feminino não tem uma visibilidade tão grande. Esperamos, no Mundial, fazer uma classificação tão boa ou melhor.”

Nádia Nunes: “Sinto-me excelente, este foi um resultado muito bom, trabalhámos muito e muito unidas para conquistar os nossos objectivos. A nossa união e a nossa garra levaram-nos onde chegámos. A Sandra Fernandes, o João Florêncio e todo o grupo de trabalho foram peças fundamentais para chegar tão longe. A união faz a força e sem dúvida isso caracteriza o nosso grupo, a nossa pequena família, como costumamos dizer. Isso levou-nos até ao 4º lugar.”

Beatriz Monteiro: “Foi muito bom, acho que temos capacidade para ir muito longe. Sabíamos que tínhamos capacidade para ganhar mas foi duro, foi difícil e a cada jogo foi correndo melhor e conseguimos chegar ao 4º lugar. Nós não somos de desistir e lutamos sempre até ao fim de cada jogo.”

Mariana Sousa: “Fizémos um campeonato muito bom e difícil, mostrámos o que valíamos e dignificámos o andebol português. O balanço é muito positivo, tanto no geral como a nível individual, porque tenho a certeza de que todas nós aprendemos muito. Mostrámos que fomos as guerreiras de Portugal.”

Maria Ramos: “Ainda não sei muito bem o que dizer, é um sonho! Foi uma experiência muito boa, porque não estávamos à espera do 4º lugar. Tivémos muitas dificuldades e excedemos as nossas expectativas. Valeu todo o esforço, toda a dedicação e todas as lágrimas e o resultado foi excelente. A ajuda da Sandra e do Florêncio foi muito importante e eles fizeram-nos acreditar que tudo é possível.”

Anaís Gouveia: “Sinto-me muito bem, isto é único no nosso escalão, é uma coisa que acontece de vez em quando! Chegar ao 4º lugar é especial. Não há palavras, é inacreditável. Com o nosso grupo tudo é possível, é o grupo mais unido e coeso que alguma vez conheci e do qual fiz parte.”

Carolina Silva: “Foi fantástico, Portugal não esperava este resultado mas nós sabíamos que íamos ter um bom resultado, talvez não tão bom. Saber que todo o nosso empenho, todo o nosso trabalho e toda a nossa dedicação foram recompensados e reconhecidos, é muito bom. Agora temos de continuar a trabalhar e acredito que no Campeonato do Mundo, para o ano, vamos conseguir um bom resultado.”

João Florêncio, seleccionador nacional: “Quero dizer que estou muito contente com o actual momento do andebol feminino português. Têm-se conseguido obter bons resultados ao nível da formação. Não estamos sozinhos, há muito empenho e trabalho dos clubes, que têm proporcionado o aparecimento de atletas com propensão para ser boas jogadoras. Estamos a viver um momento muito positivo, que culminou com a presença de duas selecções, a de sub19 e a de sub17, em fases finais dos Europeus com participações muito positivas, onde jogámos taco a taco com a grande maioria das potências europeias e que culminou com um fantástico resultado das sub17, com uma classificação histórica a melhor de sempre das selecções de formação. Todo o grupo de trabalho e todas as pessoas envolvidas estão de parabéns – sobretudo a Sandra Fernandes, a quem quero deixar uma palavra especial pela forma como conduziu a equipa a um resultado espectacular, que é um orgulho para todos nós!”

Sandra Fernandes, seleccionadora nacional: “Portugal conseguiu chegar às meias-finais do Europeu fruto do muito trabalho e dedicação das atletas. Jogo após jogo, sempre com o mesmo espírito de ambição, fomos passando adversários que são potências do andebol europeu. Quero destacar aqui, a ambição de vencer mesmo frente a adversários que eram mais fortes em termos teóricos. Esta classificação só é possível face ao trabalho e dedicação das jogadoras, que, em colaboração com os clubes, permitiram que a nossa equipa pudesse lutar por um lugar de destaque nesta competição . Este é também um prémio para todos aqueles que acreditam numa modalidade que é, sem dúvida, uma das mais espetaculares em termos coletivos. Portugal esta de parabéns e a FAP também, pelo seu projecto em termos de andebol feminino.”

Patrocinadores