13º Congresso da EHF – reconhecido o trabalho de Portugal

PUB

A delegação portuguesa viu eleitos, por unanimidade, Pedro Sequeira, para a Comissão de Métodos (Desenvolvimento do Andebol) e Leonor Mallozzi, com 63% dos votos, para a Comissão do Andebol Feminino; e ainda recebeu uma distinção por parte da EHF, como Top Organiser.

Miguel Laranjeiro, presidente da Federação de Andebol de Portugal refere que, são “duas escolhas muito importantes para Portugal e é o reconhecimento do trabalho e das qualidades de Pedro Sequeira e de Leonor Mallozzi.” Quanto à atribuição do prémio de Top Organiser, pela EHF, Miguel Laranjeiro afirma que: “O nosso país vê assim confirmado o seu papel de relevo no andebol europeu e na EHF, da qual somos membros fundadores. O nosso desejo é, nos próximos anos, aprofundar a relação com a Federação Europeia e a atribuição, neste Congresso, do prémio de Melhor Organizador de Eventos é a confirmação do progresso do andebol em Portugal”.

Na sessão de encerramento do Congresso, Rui Coelho foi eleito Membro honorário da EHF, num reconhecimento do trabalho desenvolvido e de dedicação ao andebol europeu. Rui Coelho deixa o cargo de Presidente do Court of Handball (Tribunal de primeira instância), por limite de idade, depois de exercer o cargo durante vários mandatos. Laranjeiro lembrou o trabalho de Rui Coelho à frente do órgão da EHF, deixando um agradecimento pelo trabalho realizado.

De recordar que antes do início dos trabalhos foi assinado entre a FAP e a EHF o contrato para a realização do Europeu de Masters 2017 na cidade de Gondomar.

A delegação portuguesa era constituída por Miguel Laranjeiro (presidente), Ulisses Pereira (relações institucionais) e Leonor Mallozzi (relações internacionais).

Patrocinadores