António Marreiros integra Comité Técnico da Arbitragem da EHF

PUB

A arbitragem portuguesa é, uma mais vez, motivo de reconhecimento e confiança por parte da EHF, que, este sábado, confirmou António Marreiros, Presidente do Conselho de Arbitragem da Federação de Andebol de Portugal como novo membro do Comité Técnico da Arbitragem da EHF.

A decisão foi divulgada este sábado, findas as reuniões do Comité Executivo da EHF, realizadas na sede, em Viena.

António Marreiros sucede a António Goulão, “a quem agradeço a forma elevada como fez questão de participar neste processo e nesta passagem de testemunho. Agradeço ao chairman do Comité Técnico da Arbitragem da EHF, Dragan Nachevski, o convite para participar neste processo de escolha e a confiança que demonstrou ao propor o meu nome para com ele trabalhar. À FAP, o apoio incondicional que, na pessoa do seu presidente me emprestou desde o primeiro momento em todo o processo de candidatura”, reconheceu o Presidente do CA da FAP. “É para mim um enorme orgulho poder servir a arbitragem europeia como representante de Portugal. Tudo farei para transportar as nossas melhores práticas para o Comité Técnico da Arbitragem da EHF”, assegura António Marreiros, acrescentando ainda que “a humildade, a dedicação, a resiliência e a transparência de processos, são valores dos quais não me afastarei durante este mandato. Os árbitros portugueses podem continuar a contar comigo de forma incondicional”, garante.

António Goulão destaca a importância de ter um representante português na arbitragem europeia: “Foi com enorme satisfação que recebi a notícia da nomeação do meu amigo e colega António Marreiros para membro do Comité Técnico da Arbitragem da EHF. Esta passagem de testemunho é importante para Portugal e para os destinos da arbitragem portuguesa, pois continuamos a ter um representante nos destinos da arbitragem na EHF”. Goulão explica ainda que “esta passagem de testemunho foi proposta à FAP e à EHF por mim, por entender que o meu colega António Marreiros é a pessoa indicada para a continuidade do trabalho desenvolvido na comissão europeia de árbitros e será uma mais valia para todos nós”, assegura. “Desejo um excelente mandato na continuidade dos processos iniciados anteriormente”, diz.

MIGUEL LARANJEIRO: “A ARBITRAGEM E O ANDEBOL PORTUGUÊS ESTÃO DE PARABÉNS!”

Satisfeito com o reconhecimento da arbitragem portuguesa pela EHF, Miguel Laranjeiro evidencia a importância desta nomeação: “Hoje é um dia importante para o prestígio do andebol nacional. Congratulo-me com a nomeação do António Marreiros para o órgão que vai liderar a arbitragem da EHF nos próximos anos. Esta escolha resulta das qualidades pessoais, técnicas e de liderança do António Marreiros, bem como do prestígio que a arbitragem nacional tem na Europa. Estará num núcleo restrito a que só chegam os melhores”, destaca o Presidente da FAP, que deixou, também, palavras de agradecimento a António Goulão: “Quero agradecer todo o trabalho e empenho do António Goulão, que desempenhou estas mesmas funções no último mandato. É uma das referências nacionais e a FAP continuará a contar com o seu trabalho e experiência”, afirma.

Foram 17 as nomeações recebidas pelo Comité Técnico da Arbitragem da EHF, liderado por Dragan Nachevski, membro da Comissão das Competições da EHF e responsável pela Arbitragem.

António Marreiros é um dos cinco membros nomeados para 2017/18. Foram nomeados, ainda, Jiri Konecny (Rep. Checa), responsável pelo Programa de Jovens Árbitros, Jutta Ehrmann-Wolf (Alemanha), responsável pela arbitragem feminina e Oyvind Togstad (Noruega) e Miroslaw Baum (Polónia).

Todas as informações sobre estas e outras decisões do Comité Executivo da EHF podem ser conhecidas em www.eurohandball.com.

Patrocinadores