XXXVI Congresso da IHF: Ulisses Pereira, Pedro Mourão e Miguel Fernandes reeleitos

PUB

Portugal mantém a presença nos órgãos da IHF, com a reeleição de Dr. Pedro Mourão para o Tribunal Arbitral, o Dr. Miguel Fernandes para a Comissão Arbitral e o Dr. Ulisses Pereira como um dos dois auditores internos da IHF.

“É uma reeleição que muito me orgulha”, referiu o Dr. Pedro Mourão, acrescentando que “tem a ver com a capacidade interventiva da Federação de Andebol de Portugal nas instâncias internacionais e com o prestígio que Portugal alcançou para além fronteiras”, reforçou o membro do Tribunal Arbitral da IHF.

Miguel Fernandes faz parte da Comissão Arbitral da IHF há dezassete anos: “Em primeiro lugar gostaria de realçar, uma vez mais, a presença do Andebol Português e de dirigentes da Federação na IHF, a mais alta instância internacional da modalidade, o que vem evidenciar a capacidade do Andebol Português também a nível internacional. A reeleição dos 3 elementos para os diferentes órgãos da IHF constitui pois um motivo de satisfação e é com renovada motivação que partimos para mais um mandato, esperando estar à altura desse desafio”, considera. “Agradeço a confiança e apoio do Presidente, da Direcção da Federação, e ainda da equipa de relações internacionais da Federação na minha reeleição para a Comissão Arbitral da IHF, primeira instância disciplinar da IHF, onde exerço funções desde o ano de 2000”.

Ulisses Pereira acredita que a reeleição para Auditor Interno da IHF é o reconhecimento do trabalho que tem vindo a ser feito nos últimos anos. “Naturalmente que foi com bastante orgulho que recebi a notícia da minha reeleição como Auditor Interno da IHF, principalmente pela expressiva maioria obtida de 113 votos favoráveis num universo de 123 países que participaram na votação (92%)”, expressou. “Penso que é também o reconhecimento do trabalho feito nos últimos quatro anos, em que foi aumentada de forma significativa a quantidade do trabalho desenvolvido e a exigência quanto à qualidade e transparência dos documentos financeiros e processos de tomada de decisão num organismo de enorme dimensão e complexidade, como é o caso da IHF”, reconhece o próprio. “Mas é fundamentalmente o reconhecimento do crescente prestígio que o Andebol Português tem nos contextos europeu e mundial, o que foi comprovado pela eleição de 3 portugueses para órgãos da IHF, principalmente se tivermos em conta que existiam mais de 200 países potenciais para cerca de 50 lugares em eleição, ou seja, uma média de 0,5 lugares por país.”

Ulisses Pereira deixou, “por último, uma palavra de parabéns para os outros eleitos (Juiz Pedro Mourão e Dr. Miguel Fernandes) e também para a Federação de Andebol de Portugal, pelos resultados obtidos no XXXVI Congresso Ordinário da IHF.”

Acompanha-nos através do Facebook Oficial, Instagram ou Twitter.

Patrocinadores