Paulo Sá assume Direção Técnica Nacional do Andebol Masculino

PUB

O lugar de Diretor Técnico Nacional, que estava vago desde 1997, foi agora ocupado por Paulo Sá, Doutorado em Ciências da Atividade Física e Desporto, e que estava na Presidência da Associação de Treinadores de Andebol de Portugal – ATAP, nos últimos dois anos e meio, cargo que agora abdicou em prol da Direção Técnica Nacional.

Paulo Sá, com vasta experiência como treinador de formação e coordenador técnico em diversos clubes, assume-se satisfeito com esta escolha, “Penso que trago um pouco de experiência e também da minha formação académica, cruzando com uma boa relação com todos os agentes do andebol. Tenho pensado e investigado muito sobre a modalidade e secalhar foi mesmo isso que fez a Federação de Andebol de Portugal convidar-me para este cargo.”

O novo Diretor Técnico Nacional enaltece ainda o trajeto que as Seleções Nacionais Masculinas e os Clubes Nacionais tiveram esta época, “Estamos neste momento numa onda muito positiva no andebol masculino, cheia de resultados, tanto de seleções como de clubes, o que vamos procurar fazer é que isto não se torne um mero acaso e seja uma situação recorrente, para isso é preciso trabalhar de baixo para cima, para que estes resultados sejam consolidados.” – realça Paulo Sá.

Enquanto balanço final das novas funções, Paulo Sá realça que, “Isto é um desafio interessantíssimo e ao mesmo tempo muito ambicioso. Estamos numa das mais fortes federações desportivas nacionais onde já há muitos anos não existia a função de diretor técnico só por isso é um desafio muito grande.” – reforça Paulo Sá.

Miguel Laranjeiro, Presidente da Federação de Andebol de Portugal, refere que esta sempre foi a ambição da Federação, “Desde o início do mandato que consideramos a importância do preenchimento dos lugares de Diretor Técnico para o Andebol Feminino e Masculino, mas só agora foi possível criar as condições para a sua concretização. O convite ao Paulo Sá para Diretor Técnico Nacional, vem na sequência do trabalho que estamos a desenvolver no âmbito mais vasto do projeto “Rumo 2028”. Este era um dos elementos que faltava preencher, pelo que é com grande satisfação que vemos a aceitação deste desafio com o palavra que marca este caminho: ambição.” – realça Miguel Laranjeiro.

Ainda sobre a nova Diretora Técnica do Andebol Feminino, Vera Lopes, Miguel Laranjeiro admite que a este é o caminho que a Federação terá que trilhar no futuro, “Foi com esse mesmo sentimento que a Dra. Vera Lopes aceitou o cargo de Diretora Técnica Nacional para o Andebol feminino, o que muito nos apraz. Estamos a cumprir um caminho, delineado há muito, e que queremos que resulte na consolidação dos sucessos que o Andebol nacional tem tido na presente época.”

Acompanha-nos através do Facebook Oficial, Instagram ou Twitter.

Patrocinadores