EHF Euro 2024: Portugal esbarra na Campeã da Europa

PUB

Objetivo dos Heróis do Mar de garantir vaga no Torneio Pré-Olímpico mantém-se intacto e o último duelo do Main Round, frente à seleção dos Países Baixos, na próxima terça-feira (14h30), é decisivo – transmissão em direto na RTP2.

A vontade de surpreender a Campeã da Europa era muita, mas os nórdicos mostraram mais argumentos e foram felizes final. Portugal perdeu por 40-33 este domingo, sofreu a segunda derrota em seis jogos realizados até ao momento (primeira no Main Round) mas continua com ambição máxima de atingir o principal objetivo: garantir vaga para o torneio de acesso aos Jogos Olímpicos deste ano. No horizonte dos valentes Heróis do Mar nesta competição está ainda superar a melhor classificação de sempre, o 6.º lugar, para entrar no lote restrito das cinco melhores seleções da Europa.

Para o penúltimo duelo do Main Round II, Paulo Pereira prescindiu de novo de Ricardo Brandão e Gonçalo Vieira. O próximo jogo de Portugal é decisivo para a corrida por um lugar no Torneio Pré-Olímpico e está agendado para esta terça-feira, diante dos Países Baixos, a partir das 14h30, na Barclays Arena.

© Anze Malovrh / kolektiff

7 inicial: Gustavo Capdeville, Leonel Fernandes, Martim Costa, Rui Silva, Francisco Costa, Pedro Portela e Luís Frade.

No quarto duelo do Main Round, em Hamburgo, a Suécia assinou um parcial inicial de 2-0, com uma defesa do experiente Andreas Palicka pelo meio. Pedro Portela concretizou o primeiro golo de Portugal, de livre de 7 metros e o empate só não voltou a surgir porque os Lusos se mostravam algo ansiosos e desperdiçaram duas oportunidades.

O jogo seguiu em modo ‘parada e resposta’ até que, aos nove minutos, Pedro Portela foi de novo destaque ao assinar o golo da igualdade (5-5), de contra ataque, depois de duas defesas consecutivas de Gustavo Capdeville. Em cima dos 10 minutos, Alexandre Cavalcanti foi excluído e Portugal preparava-se para cumprir dois minutos em inferioridade numérica pela primeira vez. Valeu, mais uma vez, o guardião português de 26 anos, que impediu que a Suécia disparasse no marcador, tendo os Heróis do Mar sofrido apenas um golo nesse período.

Aos 13 minutos, Pedro Portela colocou Portugal na frente pela primeira vez (7-8) e deu ainda mais confiança aos comandados de Paulo Pereira. O equilíbrio não dava sinais de abandonar e a Suécia voltou ao comando (10-9), com ataques rápidos, ao contrário de Portugal, que tinha o mesmo sucesso mas através de ataques organizados e ponderados.

Portugal passou a jogar com os dois centrais em simultâneo, Rui Silva e Miguel Martins, e essa opção revelou-se vantajosa. A meio da primeira parte, Joaquim Nazaré estreou-se para o lugar de Francisco Costa – o lateral era, nesta altura, o melhor marcador do jogo, com cinco golos.

Com 23 minutos decorridos, Portugal já tinha melhorado na defesa e festejou o regresso à liderança do marcador (13-14), pela mão do pivô Luís Frade. Cada erro cometido, quer por Portugal, quer pela Suécia, era religiosamente aproveitado da melhor forma pelo adversário e, assim foi, aos 24 minutos, quando os nórdicos consumaram a reviravolta (15-14) depois de uma remate falhado de Rui Silva. Paulo Pereira pediu o primeiro time-out do jogo.

Após a paragem, regressou Francisco Costa e foram os Campeões da Europa a voltar aos dois golos à maior (16-15), algo que já não acontecia desde o 5-3.

Aos 27 minutos, com o marcador em 17-15, uma exclusão para a Suécia deixou Portugal com uma inédita situação de superioridade numérica praticamente até ao intervalo. No entanto, os Heróis do Mar não aproveitaram a sofreram um parcial de 2-0, com os suecos a recolherem aos balneários com a diferença máxima até então, de quatro golos.

Intervalo: 19-15

Na segunda parte estreou-se Diogo Rêma Marques e regressou Martim Costa às opções, para marcar os dois primeiros golos de Portugal – lateral que esteve durante largos minutos no banco na etapa inicial (21-17). Após quatro minutos, Portugal reduziu a diferença para dois golos (21-19) mas a Suécia respondeu com um parcial de 4-0, para alcançar uma margem nova de seis (25-19), num período de desacerto a todos os níveis de Portugal. Com 38 minutos, Paulo Pereira viu-se ‘forçado’ a pedir time-out.

No reatar da partida, os Lusos beneficiaram de uma exclusão atribuída ao sueco Max Darj e passaram a colocar mais profundidade na defesa, mas o jovem guardião Tobias Thulin assinou três defesas consecutivas e impediu que Portugal marcasse nesse período. Já de igual para igual, a Suécia chegou aos sete golos à maior (26-19).

Aos 43 minutos apareceu nova exclusão para a Campeã da Europa. Portugal voltou a não ser feliz e viu ampliada a desvantagem para 29-23. Pouco depois, inverteram-se os papéis e foi a Suécia a beneficiar de dois minutos de superioridade. Os nórdicos chegaram ao 31-24. Portugal fez regressar o tradicional sistema 6:0, mas os suecos encontravam espaço para o golo com regularidade e, no ataque, era Martim Costa a assumir o papel de protagonista – assinou, a dez minutos fim, sete golos e ultrapassou o irmão, Francisco, na lista de melhores marcadores. 

Já depois de voltar a ver Portugal colocar profundidade na defesa, o selecionador da Suécia – o norueguês Glenn Solberg – pediu time-out, aos 53 minutos, com o marcador em 34-29 e com o rumo do jogo muito favorável aos campeões. Mesmo perante um cenário difícil, Portugal recusou-se a atirar a toalha ao chão e continuava a defender de forma profunda e agressiva, mas estava decidido: a Suécia iria vencer e carimbar a passagem às Meias Finais, para continuar na luta pela revalidação do título.

Tobias Thulin terminou com 10 defesas na conta pessoal (33% de eficácia), Gustavo Capdeville assinou sete (26% de eficácia). Lucas Pellas concretizou uma dezena de golos, mais do que qualquer outro na partida. 

Resultado Final: 40-33

MVP: Luís Frade – 7 golos (78% de eficácia) e 1 assistências
Top Scorer: Martim Costa – 8 golos (73% de eficácia) e 4 assistências

Paulo Pereira, Selecionador Nacional, mantém o foco no objetivo principal da competição:

“Tenho a certeza que se me perguntassem no início da competição se iríamos estar nestas condições, neste momento, em que é apenas a segunda vez em seis jogos que eu falo a seguir ao treinador da equipa adversária, ou seja, perdemos apenas com Dinamarca e Suécia – duas equipas do top-3. Estou extremamente orgulhoso daquilo que os nossos atletas fizeram, do trabalho de todo staff e, em princípio, estamos quase garantidos no Torneio Pré Olímpico, que era o nosso objetivo principal. Oxalá que consigamos levar Portugal à Lanxess Arena para todos nos verem será fantástico e creio que estamos cada vez mais perto.”

Men’s EHF Euro 2024
Calendário – Grupo F
11.01.2024 – 17h00 – Portugal x Grécia, 31-24 (18-14)
13.01.2024 – 17h00 – Chéquia x Portugal, 27-30 (7-13)
15.01.2024 – 19h30 – Dinamarca x Portugal, 37-27 (17-15)
Main Round II
17.01.2024 – 14h30 – Noruega x Portugal32-37 (15-18)
19.01.2024 – 14h30 – Eslovénia x Portugal30-33 (17-18)
21.01.2024 – 17h00 – Suécia x Portugal, 40-33 (19-15)
23.01.2024 – 14h30 – Países Baixos x Portugal, RTP 2

Para consultar o horário completo do EHF Euro 2024 basta clicar aqui. Todos os encontros de Portugal serão transmitidos em direto na RTP 2.

Pode comprar os seus bilhetes para Hamburgo aqui!

Que espetáculo! Portugal deslumbrou e mereceu a passagem ao Main Round. Junte-se aos Heróis do Mar!

Os bilhetes ainda estão disponíveis. Todas as equipas querem o máximo de barulho e apoio possível nos seus jogos – por isso, não perca a oportunidade de ajudar Portugal a passar ao Final Weekend. Mas seja rápido, porque os bilhetes estão praticamente esgotados para o Main Round, em Hamburgo.

De 10 a 28 de janeiro de 2024, todos os caminhos vão dar à Alemanha para os fãs de andebol de todo o mundo, com 17 dias de competição coloridos e dinâmicos, preenchidos com 65 jogos. A Alemanha acolhe orgulhosamente a primeira edição de um EHF Euro com 24 equipas a decorrer num único país.

Patrocinadores Institucionais