EHF Euro 2024: Tricampeã do Mundo impõe primeira derrota a Portugal

PUB

Heróis do Mar não foram felizes no duelo com a Dinamarca e avançam sem pontos para o Main Round; Primeiro duelo da próxima fase será esta quarta-feria, frente à Noruega, segunda classificada do Grupo D – transmissão em direto na RTP 2.

Está decidido: Portugal vai sem pontos para o Main Round e a Dinamarca avança com dois, depois do desfecho do terceiro duelo do Grupo F, desta segunda-feira, no Olympiahalle, em Munique. Os nórdicos, tricampeões do Mundo em título, justificaram o favoritismo depois de uma segunda parte difícil para os Heróis do Mar, que sofreram a primeira derrota desde o início da competição.

Para além do pivô Ricardo Brandão, também o capitão, Rui Silva, ficou de fora das opções devido a um pequeno traumatismo e gestão de esforço, dando lugar ao lateral Gonçalo Vieira (Fenix Toulouse), que se estreou em absoluto.

Segue-se agora uma mudança de cidade, com destino a Hamburgo, e com quatro adversários de peso no caminho de Portugal no Grupo II do Main Round: Noruega, Eslovénia, Suécia e Países Baixos, por esta ordem. O primeiro é já esta quarta-feira, diante dos vermelhos da Escandinávia (que perderam esta tarde com os eslovenos, líderes do Grupo D), às 14h30 – hora portuguesa.

7 inicial: Diogo Rêma Marques, Pedro Oliveira, Martim Costa, Miguel Martins, Francisco Costa, António Areia e Luís Frade.

Os primeiros três minutos foram marcados por um período de parada e resposta e, nessa altura, apareceu a primeira exclusão do jogo, para Alexandre Cavalcanti. A Dinamarca agradeceu e respondeu com um parcial de 3-0, para alcançar o mesmo número de golos à maior (5-2). Aos nove minutos, numa altura em que Niklas Landin contabilizava três defesas, a Dinamarca continuava a mostrar-se exímia no ataque e chegou a uns inéditos quatro golos de vantagem (7-3), o que motivou um pedido de time-out por parte de Paulo Pereira. 

Após a paragem, Portugal respondeu com um parcial de 1-3, para regressar aos dois golos de diferença (8-6) e voltar a ambicionar um resultado positivo neste duelo. Com 16 minutos decorridos, os nórdicos encontraram-se pela primeira vez em situação de inferioridade numérica, mas conseguiram resistir e não deixaram que a margem atingisse o mínimo. Os Lusos, que até estavam a mostrar melhorias, foram novamente castigados por uma exclusão, pouco depois, e voltaram a ver a Dinamarca distanciar-se, mas desta vez até aos cinco golos (14-9), depois de um parcial de 5-1, algo que não tinha acontecido até então.

Já dentro dos 10 minutos finais da primeira parte, Gustavo Capdeville estreou-se para tentar quebrar a eficácia dos dinamarqueses que, até então, se mostrava praticamente imaculada. Nesta atura, os Vikings já tinham transformado a defesa num profundo 5:1 e Martim Costa era o atleta em destaque do lado português. O central Gonçalo Vieira estreou-se à entrada dos cinco minutos finais, Joaquim Nazaré um pouco mais tarde.

Emil Nielsen, guardião do Barça, entrou para defender dois livres de 7 metros de António Areia e Francisco Costa, o que em nada ajudou à motivação dos Lusos que, no entanto, não se renderam perante os tricampeões. Aos 27 minutos, depois de uma intervenção de Gustavo Capdeville, apareceu o 16-14: dois golos de diferença, o que levou Nikolaj Jacobsen a pedir time-out.

Na sequência da última paragem da primeira parte, Gustavo Capdeville entrou de novo em cena, Gilberto Duarte correspondeu no ataque e Portugal festejou o regresso à diferença mínima, algo que já não se via desde o 3-2. 

A Dinamarca ainda fez abanar as redes portuguesas por duas ocasiões (uma delas invalidada com recurso ao VAR, uma vez que a bola só entrou por completo na baliza depois do soar da buzina), Martim Costa contabilizava uns expressivos oito golos ao intervalo e os Heróis do Mar continuavam com espaço para sonhar alto nesta partida.

Intervalo: 17-15

Para a segunda parte, Pedro Portela estreou-se e Salvador Salvador aventurou-se em processos ofensivos, mas foi a Dinamarca a festejar a oitava defesa de Niklas Landin no jogo, que deu o mote para um parcial nórdico de 2-0 (19-15).

Aos 35 minutos, Pedro Oliveira foi excluído e o fantasma da inferioridade numérica continuava a travar as ambições dos atletas Lusos. A Dinamarca continuava em altas, com Niklas Landin em grande destaque, e um parcial de 3-0 elevou a diferença para o um patamar novo, de seis golos (23-17), finalizado aos 40 minutos, altura em que Paulo Pereira pediu time-out.

No recomeço, apareceu o famoso sistema 7×6 numa clara aposta total, em busca de um resultado positivo. Seguiu-se um período de desacerto de parte a parte – raro no caso da Dinamarca – mas os nórdicos voltaram ao patamar de excelência, já Portugal continuava a sentir dificuldades a todos os níveis. Niklas Landin chegou os 50% de eficácia entre os postes (terminaria o jogo com 16 defesas e 39% de eficácia), os compatriotas correspondiam no ataque e a vantagem alcançou uns inéditos oito golos (26-18), perto dos 50 minutos. 

Nos últimos 10 minutos, o ritmo de jogo caiu e a Dinamarca contava os minutos para confirmar a terceira vitória no EHF Euro 2024, não sem antes chegar a um máximo de 11 golos de vantagem (35-24), explorando com sucesso as fragilidades inerentes ao sistema 7×6, nomeadamente a ausência do guarda-redes na baliza portuguesa. O lateral Mathias Gidsel, de 24 anos, foi o melhor marcador do encontro, com 11 remates certeiros, imediatamente à frente de Martim Costa.

Resultado Final: 37-27

MVP & Top Scorer: Martim Costa – 9 golos (69% de eficácia) e 1 assistência

Paulo Pereira, Selecionador Nacional, analisou esta partida contra a tricampeã do Mundo:

“Gostei muito da primeira parte, conseguimos encontrar algumas debilidades no sistema defensivo da Dinamarca e aguentámos 30 minutos. Só que o jogo tem 60 e, na segunda parte, já não fomos capazes de manter o nível e o ritmo, porque eles são uma equipa extremamente física na transição e isso limita-nos muito, quando temos de fazer duas trocas defensivas. É óbvio que nós gostávamos de ganhar ao Campeão do Mundo, mas o nosso objetivo neste Europeu não é esse, e vamos tentar melhor já no próximo jogo.”

Men’s EHF Euro 2024
Calendário – Grupo F
11.01.2024 – 17h00 – Portugal x Grécia, 31-24 (18-14)
13.01.2024 – 17h00 – Chéquia x Portugal, 27-30 (7-13)
15.01.2024 – 19h30 – Dinamarca x Portugal, 37-27 (17-15)
Main Round II
17.01.2024 – 14h30 – Noruega x Portugal, RTP 2
19.01.2024 – 14h30 – Eslovénia x Portugal, RTP 2
21.01.2024 – 17h00 – Suécia x Portugal, RTP 2
23.01.2024 – 14h30 – Países Baixos x Portugal, RTP 2

Para consultar o horário completo do EHF Euro 2024 basta clicar aqui. Todos os encontros de Portugal serão transmitidos em direto na RTP 2.

Pode comprar os seus bilhetes para Hamburgo aqui!

Que espetáculo! Portugal deslumbrou e mereceu a passagem ao Main Round. Junte-se aos Heróis do Mar!

Os bilhetes ainda estão disponíveis. Todas as equipas querem o máximo de barulho e apoio possível nos seus jogos – por isso, não perca a oportunidade de ajudar Portugal a passar ao Final Weekend. Mas seja rápido, porque os bilhetes estão praticamente esgotados para o Main Round, em Hamburgo.

De 10 a 28 de janeiro de 2024, todos os caminhos vão dar à Alemanha para os fãs de andebol de todo o mundo, com 17 dias de competição coloridos e dinâmicos, preenchidos com 65 jogos. A Alemanha acolhe orgulhosamente a primeira edição de um EHF Euro com 24 equipas a decorrer num único país.

Patrocinadores Institucionais