Seleção Nacional sub-18: Dinamarca levou a melhor no primeiro duelo em Moimenta da Beira

PUB

No regresso do Torneio Internacional Terras do Demo, os Lusos perderam por 26-32 frente aos nórdicos, no Pavilhão Municipal de Moimenta da Beira que se encheu por completo para apoiar Portugal.

A Seleção Nacional sub-18 Masculina estreou-se no Torneio Internacional Terras do Demo com uma derrota no primeiro de dois jogos com a congénere da Dinamarca, na preparação para o Campeonato da Europa da geração, agendado para o verão. O Pavilhão Municipal de Moimenta da Beira encheu-se por completo, maioritariamente por jovens adeptos, que cumpriram na perfeição o propósito de apoiar por Portugal.

O segundo duelo entre Lusos e nórdicos vai arrancar a partir das 16h30 deste sábado e voltará a contar com transmissão em direto na andeboltv.

7 inicial: Bernardo Sousa, João Magalhães, Luís Fernandes, Tiago Sousa, Rafael Vasconcelos, José Nunes e Artur Usatiuc.

Tal como se previa, Portugal apresentou um 6:0 defensivo e liderou o marcador até aos três minutos, com dois golos do lateral Luís Fernandes (2-1) até que a Dinamarca aproveitou uma desatenção no ataque português para alcançar, pela primeira vez, a liderança (2-3), com destaque para o ponta esquerda Simon Kristensen, autor de dois dos três golos nórdicos.

O guardião Bernardo Sousa fez as duas primeiras defesas da conta pessoal entre os 5 e os 6 minutos, para ajudar a Seleção Nacional sub-18 a reverter as contas (4-3). Nove minutos decorridos e Luís Fernandes voltou a assumir protagonismo e assinou o 6-4, dando a Portugal a primeira vantagem de dois golos desde o início da partida.

No entanto, a Dinamarca cresceu, começou a implementar mais velocidade no jogo e a melhorar na defesa, até anular a diferença (6-6). O cenário pior ficou para os Lusos, quando surgiu o 7-9, aos 14 minutos. Os nórdicos festejavam uma inédita vantagem de dois golos. A eficácia portuguesa – que até então se mostrava irrepreensível – começou a cair e quem agradeceu foi o conjunto dinamarquês, que rapidamente atingiu um novo patamar: três golos, aos 15 minutos (7-10). João Varejão, líder da Seleção Nacional sub-18, em virtude da ausência por motivos de saúde de Nuno Santos, solicitou o primeiro time-out em Moimenta da Beira.

Após paragem, Portugal trocou peças na defesa e no ataque, deu profundidade ao 6:0 e entrou numa espiral de parada e resposta até surgir a primeira exclusão, perto dos 20 minutos. Com menos um elemento em campo, a diferença que era de dois golos passou a quatro (10-14).

A cinco minutos do intervalo, o marcador registava 13-16 e foi nessa altura que Dennis Bo Jensen, selecionador sub-18 da Dinamarca, pediu o primeiro time-out para a os nórdicos. A equipa das Quinas teve ainda forças para reagir e aproveitou uma situação de superioridade numérica para reduzir a diferença para dois – e ainda marcou o 16.º golo, mas a buzina soou primeiro do que a bola entrou na baliza nórdica. 

Intervalo: 15-17

Na segunda parte, foi a vez da Dinamarca implementar também profundidade na sua defesa e, para além dos nórdicos terem cumprido as tarefas no ataque na defesa, o guardião Oliver Briese foi decisivo para que, em nove minutos, a Dinamarca tivesse marcado sete golos e sofrido apenas um (16-24). Os comandados de João Varejão assinou o segundo golo após o intervalo aos 40 minutos.

Portugal reergue-se mas, após um curto período de parada e resposta, voltou a ser ’tramado’ por uma exclusão, que condicionou a recuperação. Em sentido inverso, a Dinamarca mostrava-se de pedra e cal no jogo, o guarda-redes continuava a somar defesas e, aos 46 minutos, chegou ao patamar redondo dos 10 golos à maior (18-28). João Varejão parou o jogo pela primeira vez na etapa complementar.

As alterações táticas promovidas pelo treinador adjunto da Seleção Nacional fizeram efeito e os Lusos concretizaram um parcial de 3-0 após a paragem (21-28), aos 49 minutos. Mais tarde, foi a vez do selecionador dinamarquês pedir time-out já depois da diferença ter sido encurtada para seis golos (23-29). Com a ajuda do apoio vindo das bancadas, os Lusos reverteram metade da desvantagem (25-30), já dentro dos cinco minutos finais, mas a vitória não iria fugir à Dinamarca, apesar do último esforço português. 

Resultado Final: 26-32

João Varejão fez uma análise detalhada daquilo que considera ser o resumo dos principais momentos do jogo: “Durante a primeira parte conseguimos defender 6:0 com algum sucesso, o que nos permitiu manter o jogo equilibrado na etapa inicial. Mesmo assim, tivemos sete falhas técnicas, algumas delas sendo erros não forçados, em 30 minutos, o que fez com que a Dinamarca marcasse alguns golos em transição nesse período. No ataque, apesar dos 15 golos marcados até ao intervalo, houve pouca continuidade das ações, que eram interrompidas com falta pelo adversário. Ao intervalo falámos sobre melhorar a relação dos segundos e terceiros defensores, bem como dos terceiros e quartos, nas trajetórias e cruzamentos para o interior, e ainda das ações que acreditávamos que teriam sucesso para explorar na segunda parte. No entanto, no arranque, sofremos um parcial de 7-2 nos primeiros 10 minutos, que dificultou muito a nossa tarefa. Falhámos nove remates isolados aos seis metros e o ‘castigo’ era sempre golo do adversário. Tivemos dificuldade nos duelos 1×1 e depois, mesmo com ajudas dos defensores próximos, a Dinamarca conseguiu, em continuidade, encontrar situações para finalização. Vamos observar e analisar em conjunto o jogo e amanhã vamos competir e aproveitar mais um excelente momento para evoluir na nossa preparação. Aproveito para deixar uma palavra de agradecimento a toda a organização pela dinâmica gerada em torno deste nosso jogo.”

Os dois jogos do Torneio Internacional Terras do Demo, entre Portugal e Dinamarca, decorrerem no Pavilhão Municipal de Moimenta da Beira e a entrada é livre.

Torneio Internacional Terras do Demo
Calendário:
05.01.2024 – 15h00 – Portugal x Dinamarca, 26-32 (15-17)
06.01.2024 – 16h30 – Portugal x Dinamarca, andeboltv

Patrocinadores Institucionais