Campeonato Placard Andebol 1: SL Benfica vence Clássico da Ronda 18

PUB

Velha rivalidade entre Águias e Dragões fechou a jornada com sorrisos encarnados depois de um grande duelo na Luz; Sporting CP é agora mais líder e SL Benfica encurtou distâncias para o FC Porto, que permanece na segunda posição.

Os três pontos do Clássico ficaram na Luz depois de um jogo intenso, equilibrado até ao final e digno de um confronto entre dois gigantes, que terminou com uma vitória por 28-27 do SL Benfica. Os comandados de Jota González já não venciam o FC Porto no seu refuto desde 13 de fevereiro de 2022. Com este desfecho, e quando faltam quatro jornadas para o fim da Fase Regular, a diferença entre os dois rivais é agora de apenas três pontos, sem alterações na tabela classificativa.

SL Benfica – FC Porto

À entrada para este jogo, o FC Porto ocupava o 2.º posto, com 48 pontos, e o SL Benfica o 3.º, com 43. O líder Sporting CP assistiu ao clássico ‘no sofá’, com 54 pontos conquistados, depois de ter cumprido na visita à Póvoa de Varzim, este sábado.

O Clássico, marcado pelas várias baixas de parte a parte, abriu com uma defesa de Gustavo Capdeville no primeiro ataque do jogo, seguida do golo inaugural apoiado por Stiven Valencia (1-0). O Campeão Nacional respondeu com um parcial de 0-2, da autoria dos canhotos David Fernandez e António Areia, aos 4 minutos (1-2). Com a ajuda dos dois guardiões, quer de Nikola Mitrevski – titular esta tarde – quer de Diogo Rêma Marques (que entrou para travar um livre de 7 metros), o FC Porto passou a liderar o marcador, com várias diferenças mínimas sucessivas e só não aumentou para dois golos, porque Gustavo Capdeville também se mostrava inspirado entre os postes. 

Aos 14 minutos, começaram a aparecer as primeiras trocas nas duas equipas e também nova reviravolta, assinada por Alexis Borges (5-4). Pouco depois, quando o cronómetro ditava 16 minutos decorridos, Carlos Resende pediu o primeiro time-out do encontro. No reatar da partida, surgiu a primeira exclusão – atribuída ao espanhol Andre Izquierdo-, para deixar o SL Benfica com menos um elemento em campo durante os dois minutos seguintes. 

No entanto, foram as Águias a reagir melhor nesse período e a chegar a um novo máximo de vantagem (7-5). Entre exclusões de parte a parte, as duas equipas só voltaram a ficar completas em simultâneo aos 22 minutos, altura em que o SL Benfica vencia por 8-7 e cinco dos golos portistas havia resultado de combinações com o pivô Ignacio Plaza. Ora, o ‘6×6’ não durou muito porque as duas equipas voltaram a lamentar novos períodos de inferioridade.

Aos 24 minutos, contrariedade dupla para o FC Porto: Pedro Valdés viu a terceira exclusão e foi desqualificado. O internacional português Gustavo Capdeville voltou fazer das suas perto dos 25 minutos e impulsionou o SL Benfica a desbloquear novo patamar no placar, de três golos (10-7), pela mão do capitão Paulo Moreno. O FC Porto conseguiu ganhar moral nos últimos cinco minutos antes do intervalo e reduziu para o mínimo (11-10), pela primeira vez desde o 8-7, na sequência de dois golos seguidos do nórdico Nikolaj Læsø.

Intervalo: 12-10

Dois minutos após o recomeço e com o SL Benfica a vencer por 13-10, Alexis Borges foi excluído, mas o FC Porto não conseguiu aproveitar nesse período, tendo reduzido para o mínimo (14-13) já de igual para igual. As oportunidades para o emblema azul e branco trazer o tão ambicionado empate existiram, mas não foram aproveitadas, para alívio dos benquistas.

Aos 42 minutos, depois de muita insistência, o FC Porto conseguiu mesmo anular a diferença contrária, por Leonel Fernandes (16-16), e Jota González não hesitou em pedir time-out pela primeira vez na segunda parte. Após a paragem, o SL Benfica apresentou-se em 7×6 mas foram os Campeões Nacionais a consumar a reviravolta (16-17), algo que já não acontecia desde o 3-4. Para as Águias, foi preciso resistir e esperar até ao minuto 48’ para que o Pavilhão n.º2 da Luz saltasse de alegria quando o Stiven Valencia assinou o 21-20, da reviravolta. O SL Benfica ganhou moral, voltou aos dois golos de vantagem (23-21) e levou Carlos Resende a parar o jogo à entrada dos 10 minutos finais.

À saída da paragem, surgiu o 24-21 e o SL Benfica respirava confiança. O treinador do FC Porto colocou em prática o sistema 7×6 aos 52 minutos, mas nem isso travou o ímpeto do rival da capital, que tinha em Gustavo Capdeville uma das principais estrelas da tarde. Quando o 25-21 apareceu, o SL Benfica já não acreditava que a vitoria fosse escapar, mas ainda faltavam cerca de seis minutos para o fim.

Os Dragões não deitariam a toalha ao chão e responderam com dois golos de uma assentada (25-23), mas o 7×6 não estava a surtir efeito e Carlos Resende voltou a pedir time-out, aos 57 minutos (28-25). Depois da paragem, os Dragões cresceram e reduziram até ao mínimo (28-27) quando faltava cerca de 1 minutos e 20 segundos para o soar da buzina e com tudo em aberto. Uma derradeira defesa de Gustavo Capdeville nos últimos segundos confirmou a conquista dos três pontos à equipa do SL Benfica num jogo combativo, equilibrado e intenso até ao final.

Ignacio Plaza, Nikolaj Læsø e Stiven Valencia foram os melhores marcadores do Clássico, com seis golos cada.

Resultado Final: 28-27

Calendário – Campeonato Placard Andebol 1
Fase Regular – 18ª Jornada
17.02.2024 – 15h00 – Marítimo Madeira Andebol SAD x FC Gaia Empril, 29-23 (14-10)
17.02.2024 – 15h00 – Sporting CP x Póvoa AC Bodegão Grupo CCR, 32-28 (17-13) 
17.02.2024 – 18h00 – ABC UMinho x Artística de Avanca Bioria, 25-22 (14-11)
17.02.2024 – 18h00 – Vitória FC x Vitória SC32-33 (17-17)
17.02.2024 – 18h30 – Águas Santas Milaneza x CF Os Belenenses, 31-31 (17-17)
18.02.2024 – 15h00 – SL Benfica x FC Porto, 28-27 (12-10)

Patrocinadores Institucionais