Campeonato Placard Andebol 1: Sporting CP com nota máxima no Dérbi da Capital

PUB

Leões não deram hipóteses ao debilitado SL Benfica e venceram por 37-28 à Ronda 2 da Fase Final; FC Porto derrotou ABC UMinho em Braga; Marítimo Madeira Andebol SAD e Águas Santas Milaneza dividiram pontos; Vitória SC voltou a sorrir.

A 2.ª Jornada da Fase Final do Campeonato Placard Andebol 1 teve de tudo, principalmente duelos intensos e emocionantes. Desde uma esmagadora vitória do Sporting CP na receção ao SL Benfica, a um jogo de nervos em Braga que terminou com a vitória do FC Porto diante do ABC UMinho, no Grupo A, passando por um empate no Funchal entre os principais pretendentes da última vaga europeia no Grupo B, sem esquecer a segunda vitória seguida do Vitória SC na Fase Final, para reforçar a liderança do Grupo C. E não só.

Sporting CP – SL Benfica

O eterno Dérbi da Capital foi o prato forte da Ronda 2, com os Leões a tirarem o melhor partido das debilidade evidentes do emblema encarnado, que continua a ser castigado com um número elevado de lesões. O desfecho profundamente favorável à equipa de Ricardo Costa, que venceu por 37-28, poderá mesmo ter ditado o adeus às ambições do SL Benfica em conquistar o título. Resumidamente, a história do Dérbi pode ser contada assim:

Foi o Sporting CP a abrir o ativo e após cinco minutos o placar registava um empate (3-3), com todos os golos leoninos a terem sido apontados por Martim Costa. Aos 6′, apareceu a primeira vantagem para o SL Benfica, com o sueco Christopher Hedberg a assinar o golo da reviravolta e terceiro da conta pessoal. Dois minutos depois surgiu a primeira exclusão da partida para o pivô das Águias Alexis Borges, mas foi o SL Benfica a sair por cima dessa situação de inferioridade, não deixando o Sporting CP reverter as contas. 

No entanto, já de igual para igual, os Leões cresceram, principalmente na defesa, e não só voltaram mesmo ao comando (7-6), no decorrer do minuto 10’, como desbloquearam de forma inédita os patamares dos dois golos (8-6) e dos três golos (9-6). Face aos acontecimentos, Jota González pediu o primeiro time-out do encontro, aos 12 minutos.

Na sequência da paragem, o SL Benfica colocou em prática o sistema 7×6, que beneficiou… o Sporting CP. Uma série de erros fatais dos Encarnados permitiram que os da casa marcassem três golos de uma assentada, que aumentaram a margem para seis golos (14-8), aos 15 minutos.

Os sete golos à maior surgiram perto dos 20’ (16-9), pela mão do inspirado Martim Costa – autor de cinco golos nesta altura – e, logo depois, foi o islandês Orri Þorkelsson a oferecer mais um aos Leões (17-9), imediatamente antes de aparecer a primeira exclusão para o Sporting CP, atribuída  a Christina Moga. Pouco depois, ainda antes de terminar o tempo de exclusão, Orri Þorkelsson seguiu o mesmo caminho e durante cerca de 30 minutos, o líder do campeonato viu-se a jogar com menos dois elementos.

Mesmo em posição aparentemente favorável, o SL Benfica continuava a sentir sérias dificuldades e, já dentro dos cinco minutos finais da primeira parte, o Pavilhão João Rocha festejou de forma efusiva o golo que dava pela primeira vez 10 golos de vantagem (21-11) ao Sporting CP – Orri Þorkelsson tornava-se o melhor marcador leonino, com sete golos.

Até ao descanso, a equipa orientada por Ricardo Costa ainda chegou aos 11 golos à maior mas fechou as contas da primeira parte com motivos para sorrir e duas mãos cheias de golos para gerir na segunda metade.

Intervalo: 23-13

Como já se podia prever, a segunda parte teve contornos diferentes, com o SL Benfica a reduzir para nove golos logo no recomeço (23-14), mas como resposta, os Leões – com novos protagonistas – assinaram quatro golos e sofreram apenas um, para voltar a trazer um novo máximo, de 12 golos (27-15). Pouco depois, o cenário tornou-se ainda mais complicado para os Encarnados, quando sofreram o 29-16 (13 golos de desvantagem).

Ainda assim, o debilitado SL Benfica não quis deixar de lutar pela honra e, num dos raros momentos de superioridade das Águias, a diferença sofreu um corte de três golos (30-20), após um parcial de 1-4. O melhor que a equipa encarnada conseguiu foi mesmo sair dos 10 golos, apenas por duas vezes até ao final da partida, já com o desfecho sentenciado há largos minutos, com destaque para o internacional jovem por Portugal, João Bandeira Lourenço, que, depois de uma boa segunda parte a nível individual, terminou o jogo como melhor marcador do SL Benfica, a par de Ole Rhamel, com quatro golos. Do lado leonino, Orri Þorkelsson apontou sete e foi o melhor da classificação geral. O guardião Gustavo Capdeville esteve igualmente em grande plano, particularmente na segunda metade.

Resultado Final: 37-28

O FC Porto foi até à Cidade dos Arcebispos derrotar o ABC UMinho por 24-26 num verdadeiro duelo digno do estatuto de ambos os emblemas. Ao intervalo, os Dragões lideravam pela margem mínima (12-13). Numa rivalidade paralela, o portista Nikolaj Læsø contribuiu com nove golos para o segundo triunfo do FC Porto na Fase Final, ao passo que o brasileiro Vinícios Carvalho assinou 10 remates certeiros mas insuficientes para evitar nova derrota minhota no Grupo A.

No Grupo B, um fantástico embate entre os principais perseguidores da última vaga europeia, Marítimo Madeira Andebol SAD e Águas Santas Milaneza, terminou em igualdade (32-32) depois do 17-17 registado ao intervalo. Pedro Cruz e Manuel Lima foram os principais impulsionadores do conjunto visitante, autores de oito e sete golos, respetivamente, longe ainda dos impressionantes 12 golos do lateral dos insulares Délcio Pina.

O CF Os Belenenses teve que sofrer para derrotar o Póvoa AC Bodegão Grupo CCR, em Lisboa. Se na segunda metade a equipa azul esteve praticamente sempre na liderança, com um máximo de quatro golos à maior (16-14 ao intervalo), a segunda trouxe um filme diferente: os poveiros uniram-se e transformaram um 18-14 num 18-19 pouco depois do recomeço, mas foi na reta final que o CF Os Belenenses aplicou o último truque e confirmou o triunfo por 29-23, como resultado de um parcial impressionante de 10-3.

Já no que diz respeito ao Grupo C, o Vitória SC soma e segue e conquistou o segundo triunfo seguido na Fase Final, desta vez na receção ao Artística de Avanca Bioria, por 28-27. Os vimaranenses deram um passo importante rumo à manutenção, num jogo em que foram superiores na primeira parte (16-11 ao intervalo), mas permitiram uma aproximação dos homens de Avanca, que anulou a diferença mas, no final, não evitou a festa do rival de Guimarães.

O FC Gaia Empril somou o primeiro triunfo na Fase Final, na visita ao terreno do Vitória FC, e aproveitou a derrota da Artística de Avanca Bioria para ganhar terreno rumo à permanência. A primeira parte terminou com os gaienses na frente por 10-13, mas no segundo tempo a vantagem chegou mesmo a ser de cinco golos e o resultado final foi 23-27, apesar da constante luta dos homens de Setúbal. Tomás Teixeira foi o melhor marcador do encontro com seis remates certeiros.

Calendário – Campeonato Placard Andebol 1
Fase Final – Grupo A – 2ª Jornada
20.04.2024 – 16h00 – Sporting CP x SL Benfica, 37-28 (23-13)
20.04.2024 – 17h00 – ABC UMinho x FC Porto, 24-26 (12-13)

Fase Final – Grupo B – 2ª Jornada
20.04.2024 – 16h00 – Marítimo Madeira Andebol SAD x Águas Santas Milaneza, 32-32 (17-17)
20.04.2024 – 18h00 – CF Os Belenenses x Póvoa AC Bodegão Grupo CCR, 29-23 (16-14)

Fase Final – Grupo C – 2ª Jornada
20.04.2024 – 15h00 – Vitória SC x Artística de Avanca Bioria, 28-27 (16-11)
20.04.2024 – 18h00 – Vitória FC x FC Gaia Empril23-27 (10-13)

Patrocinadores Institucionais